Alunos criam sistema para transformar chicletes em rodas de skate

Alunos criam sistema para transformar chicletes em rodas de skate

Criado por estudantes franceses, o sistema circular coleta chicletes descartados em áreas urbanas para transformá-los em rodas para skates.

Os franceses Hugo Maupetit e Vivian Fischer, estudantes da Escola de Design de Nantes Atlantique (França), criaram um novo uso para chicletes descartados (sim, isso mesmo: chicletes!). Para o projeto de design do terceiro ano, eles criaram um sistema baseado em Economia Circular que coleta chicletes descartados em áreas urbanas e os transforma em rodas coloridas para skates.

Em seu estudo, Hugo e Vivian criaram uma colaboração “imaginária” entre as marcas Mentos e VANS – uma é um dos maiores produtores de goma de mascar da Europa e a outra muito conhecida por ser a marca queridinha dos skatistas.

O sistema funciona instalando pela cidade uma série de “Gum Boards” – que já teve seu protótipo testado na Cidade Universitária de Nantes –, assim, ao invés de jogar chiclete na calçada, as pessoas podem colar no quadro. Para incentivá-las a fazer isso, a Hugo e Vivian criaram um conceito de sorteio, onde as pessoas podem ganhar descontos nas rodas de chiclete. As “Gum Boards” serão recolhidas toda semana e enviadas a uma fábrica, onde todos os pedacinhos de goma de mascar serão esmagados e combinados antes de se transformarem em uma pequena bola, que será colocada em uma máquina e, finalmente, se transformará em rodas para skates.

A partir dos chicletes coletados, os alunos propõem a criação de três graus de dureza da roda: macia, média e dura. As rodas de gomas de mascar também estariam disponíveis em vários tamanhos, podendo se adequar a diferentes shapes.

O objetivo de Hugo e Vivian com o projeto é limpar as ruas de uma forma sustentável e circular: “O nosso sistema pode ter começado em Nantes, mas foi concebido para ser utilizado em toda a Europa! Por meio dessa colaboração, podemos limpar as cidades e torná-las melhores, mais verdes e mais coloridas para todos”, dizem os estudantes.